Parceiro

Últimas Notícias

Mansidão, domínio próprio e a arte de "engolir sapos"


Deixar de "engolir sapo" é a receita do mundo para emagrecer, ficar bonito e ganhar autoestima. Pelo menos foi a sugestão vista num programa televisivo que tenta ensinar os brasileiros a viver com bem-estar. Esse tal "engolir sapo" é metáfora para ser pacífico, compassivo, prudente e obediente. Deixar de engolir sapo, então, seria correspondente a responder a tudo "na lata", com reação proporcional à ação inicial. Dar vazão à ira, não guardar nada, mas reagir sempre. O programa até tentou respaldo de psicólogo para essa estratégia contra a compulsão alimentar. Mas não há argumento científico convincente para questões de comportamento àqueles que tem a Bíblia como manual de vida.

Pois vamos aos fatos. O cristão não deveria precisar de psicólogo para exercitar o domínio próprio. Esse é um dos frutos do Espírito de Gálatas 5:22-23. Para evitar a compulsão alimentar, basta entender que ele não pode se tornar escravo de nenhuma coisa criada, mesmo as que são lícitas. E muito menos sair gritando com todo mundo que pisa no seu pé. A verbalização de sentimentos extremos não encontra amparo bíblico. O cristão é manso porque entregou seus direitos a Deus, de quem espera a justiça em todas as coisas. "O insensato revela de imediato o seu aborrecimento, mas o homem prudente ignora o insulto". (Provérbios 12:16)

Da mesma forma, o cristão responde o mal com o bem, seguindo os passos do nosso Senhor. "A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira". (Provérbios 15:1). O homem refém de seus humores é visto como um tolo na Bíblia. "A sabedoria do homem lhe dá paciência; sua glória é ignorar as ofensas". (Provérbios 19:11) O cristão alcança isso alimentando-se da força espiritual que lhe permite suportar todas as coisas, com ânimo divino que lhe renova em todas as horas. "Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou". (Colossenses 3:13). O exemplo de Cristo é a maior força contra todas as injustiças deste mundo.

Os psicólogos de botequim também tendem a colocar na ansiedade a culpa para alguns tipos de desvios alimentares. A Bíblia também tem remédio para isso, sem que seja necessário liberar o "grito raivoso" como terapia libertadora. Ao cristão basta amar, obedecer a palavra, ter comunhão com Deus pela oração em todas as horas e ter uma fé viva. Se lhe falta sabedoria, peça a Deus que a todos dá liberalmente. "O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor". (1 Coríntios 13:4-5)